GERAÇÃO DISTRIBUIDA

Desde 17 de abril de 2012, quando entrou em vigor a Resolução Normativa ANEEL nº 482/2012,
o consumidor brasileiro pode gerar sua própria energia elétrica a partir de fontes renováveis
ou cogeração qualificada e inclusive fornecer o excedente para a rede de distribuição de sua localidade.
Trata-se da micro e da minigeração distribuídas de energia elétrica, inovações que podem aliar
economia financeira, consciência socioambiental e autossustentabilidade.

Como Funciona

A micro e a minigeração distribuída consistem na produção de energia elétrica a partir de pequenas centrais geradoras que utilizam fontes com base em energia hidráulica, solar, eólica, biomassa ou cogeração qualificada, conectadas à rede de distribuição por meio de instalações de unidades consumidoras.

Vantagens

  • Redução da conta de luz;
  • Reforça a segurança energética e elétrica;
  • Redução do custos do insumo energia (para indústria e comércio);
  • Operação e manutenção dos sistemas simples;
  • Investimento para instalar o sistema cada vez mais baixo, com retorno mais rápido.

Custos

Observa-se uma queda exponencial nos preços do kWh dos sistemas fotovoltaicos no Brasil. Os valores variam com a potência do sistema: conforme aumenta a faixa de potência, o preço médio diminui, pelo fato dos custos fixos se manterem.

TOP